Corroendo a audiência das TVs abertas

Televisão aberta sempre se definiu como um veículo de comunicação de massa, sendo essa a medida de seu equilíbrio financeiro e de seu estilo. O que está acontecendo, no entanto, é que a massa de espectadores progressivamente vem se fracionando a ponto de encontrarmos notícias como a que transcrevo abaixo, do portal adnews.com.br:

 RJ foge da TV 26/3/2008 10:13:00

O Rio de Janeiro está se desligando da TV. A audiência do sinal aberto na cidade despencou e, nos últimos três anos, quase 20% do total de televisores da Grande Rio foram desligados. A média diária que anteriormente era de 44%, caiu para 36% em pesquisa realizada em fevereiro deste ano.

Apesar da queda nacional sobre o número de aparelhos ligados, não há registro de tanta perda quanto no Rio. Diante dos números, a Rede Globo já ligou sinal de alarme e procurou o Ibope a fim de descobrir as causas da evasão da TV aberta.Segundo informa o colunista do jornal Folha de S.Paulo, Daniel Castro, a explicação para o desinteresse especula-se em torno de três motivos: “elevado número de evangélicos, alta pirataria a cabo em áreas controladas pelo tráfico e dificuldade de medição pelo Ibope.”

Com o resultado, o Rio ultrapassou Minas Gerais (38%) na lista das cidades que menos assistem à TV. Capitais praianas como Fortaleza e Recife mantêm índices altos: 46% e 45%. São Paulo vem logo atrás com 44% e Brasília com 41%.  

 

E então? É um problema de medição do Ibope ou as pessoas estão consumindo meios audiovisuais por outros caminhos que não estão em sintonia com  as estruturas tradicionais de investimento e remuneração baseadas em aferição de audiência e na venda destes índices presumidos aos anunciantes? Não sabemos ainda, mas uma coisa é curiosa: os espectadores do Rio não estão migrando para a tv digital, uma vez que as transmissões na cidade ainda engatinham e os conversores continuam caros por enquanto. RT.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em diferenças, SBTVD

3 Respostas para “Corroendo a audiência das TVs abertas

  1. André Pase

    Sem falar que o Rio tem um “manancial” de transmissores alternativos, tanto pessoas que praticam o clássico NetGato bem como pessoas que fazem apenas uma linha pra levar o sinal da TV aberta em lugares de captação difícil. Provavelmente esses ficaram de fora da sondagem :/

  2. Eu, que moro na Bahia, sempre achei as medições do Ibope de pouca valia. Pelo menos para nossa região. A medição alcança uma porcentagem muito pequena do telespectador brasileiro. E depois, quando penso na perspectiva de quem trabalha com propaganda televisiva para empresas que pretendem abranger o mercado nacional, a medição do Ibope tem uma ineficiência maior ainda. Mais vale contratar um instituto de pesquisa sério para fazer isso de forma mais abrangentes. Aí sim, acredito que podemos ter dados preciso sobre os ‘hábitos televisivos’ do brasileiro, em qualquer Estado.

  3. rtietz

    É isso aí, Pase e Lia. Tradicionalmente os índices de audiência que são divulgados para definir o sucesso ou fracasso de novelas e programas nacionais são de praças RJ ou SP (normalmente SP). Se isto funciona como um microcosmo do Brasil ou não é impossível saber sem pesquisar nas outras também.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s