Televisa vai de Final Cut para Pequim

Olhem só que bacana o esquema de edição remota que a Televisa do México montou para a cobertura das Olimpíadas. Eles estão fazendo um esquema totalmente sem fitas usando estações Macs para a edição. Aqui no CPM da PUCRS estamos tentando fazer algo parecido, só que muito menor, há 5 anos. É legal ver que a nossa aposta estava certa. Mais detalhes aqui.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

TV Digital no Brasil ainda não passou de 1 ponto no IBOPE

A Folha Online publicou esta matéria mostrando a dificuldade na implantação da TV Digital no Brasil. Talvez agora comece a “cair a ficha” sobre os erros na implantação do sistema. É preciso acima de tudo mostrar mais recursos como a interatividade para que o consumidor perceba valor e motivo para a migração. Já falamos isso de de várias maneiras diferentes aqui, mas que é preciso mudar rápido isso parece certo.

Eduardo Pellanda

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Time Warner dificultando a vida do usuário

Kevin Leddy, executivo da Time Warner Cable, segunda maior provedora de acesso via cabo à internet nos EUA, comentou ontem para a AP que começará a implementar limites de tráfego de dados para os usuários – ou seja, limitar a quantidade de gigabytes trafegados mensalmente – e cobrar um valor para cada gigabyte excedido (no caso, US$ 1,00 – um dólar). O argumento é de que 5% dos usuários usam 50% da banda disponível na infra-estrutura, portanto seria “um meio justo de cobrir os investimentos necessários em infra-estrutura”.

Ao contrário daqui do Brasil, onde usuários do NET Vírtua conhecem bem o famoso limite de download (com a diferença de que não é cobrado extra – automaticamente, ao menos – e sim a velocidade é reduzida vertiginosamente), nos EUA esse limite não é aplicado na maioria dos provedores de acesso e, quando o é, os limites são um mais relaxados. Desnecessário dizer que esses 5% dos usuários estão começando a gritar e reclamar, principalmente pelo fato de que a distribuição de conteúdo digital lá é muito maior que aqui. Compra-se conteúdo no iTunes, assiste-se filmes no Netflix Instant Viewing (streaming de vídeos online), baixa-se demos de games e alugam-se filmes em HD da XBox Live (que normalmente possuem o tamanho por volta de 4.5GB), entre várias outras aplicações. É fácil perceber que no plano padrão (US$ 54,90 por uma velocidade de 15MBps – 40GB de tráfego) o limite pode ser facilmente estourado em poucos dias.

Duas perguntas: 1) considerando que a Time Warner é uma imensa corporação com muito interesse no mercado de produção audiovisual e sua distribuição pelos canais “regulares” (mídia ótica, cinema, CDs, etc.), quais são os reais interesses por trás desta notícia, considerando que banda é cada vez mais barata hoje em dia? e 2) será que esses 5% de usuários não são aqueles consumidores que realmente decidem, pois justamente são os “heavy users”?

G. Perez

Deixe um comentário

Arquivado em internet

Celular 1 Seg

A Vivo já vende o SGH-V820L da Samsung que é o primeiro fabricante que conseguiu unir o GSM com o sistema de TV Digital brasileiro. Ele usa o 1 Seg, que é o sistema móvel de TV Digital.

Não serão muitos modelos, pelo menos por enquanto, como eu já comentei aqui. O Engadget mostrou hoje este modelo colorido com Windows Mobile que não tem o GSM como conhecemos aqui. Vamos ver como evolui isso.

Ah, e sim este modelo apesar de mais bonito também tem uma anteninha “vintage”.

Eduardo Pellanda

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Para ser muito franco, era mais blablablá

Essa é a definição do acordo entre Brasil e Japão para a criação da fábrica de supercondutores segundo o ministro do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge. Ele participou de um Fórum de Circuitos Integrados e a Agência Estado fez um relato.

Para tratar da escolha do padrão japonês, uma delegação brasileira foi em 2006 ao Japão, liderada pelos ministros das Comunicações, Hélio Costa, e das Relações Exteriores, Celso Amorim. Na oportunidade, foram assinados vários documentos, inclusive um compromisso de se discutir a instalação da fábrica.

 

“Eu vi esse documento. Eu nem chamaria de documento de intenções. Pelo que eu li, ele não chegava nem a ser um memorando de entendimento”, disse Miguel Jorge, depois de participar do Fórum Executivo em Circuitos Integrados. “Era uma coisa, muito assim, de que estava disposto a estudar. Para ser muito franco, era mais blablablá. Acredito que era o que era possível negociar naquele momento”, acrescentou.

A notícia toda está em http://portalexame.abril.com.br/ae/economia/m0159988.html e vale ler. Meses depois, o que era penas especulado é confirmado pelo próprio governo.

Deixe um comentário

Arquivado em SBTVD

Jogos de Playstation3 + YouTube

Conforme comentado pelo blog da API (definição em Inglês/Português) do YouTube, donos de Playstation3 agora podem gravar vídeos dentro dos games e publicá-los diretamente para o site. O primeiro jogo a permitir isso é o Mainichi Issho, um jogo popular no Japão (particularmente, nunca tinha ouvido falar).

Um dos aspectos interessantes é que, em teoria, jogos lançados anteriormente podem ter a mesma funcionalidade implementada através de um patch. Mal posso esperar para ver os machinima (definição em Inglês/Português) de Grand Theft Auto IV, que utiliza um novo sistema de controle de física dos objetos (leia mais).

Não fica muito difícil prever o que vêm por aí, considerando alguns vídeos excelentes que já rolam no YouTube.

G. Perez

Deixe um comentário

Arquivado em jogos, tecnologia de edição

Mais do que HD

A medida que passa o tempo e os monitores de Plasma e LCD ficam ainda maior era natural que a resolução também subisse. Não era lógico TVs como esta da Sansung de 82 polegadas, ou mesmo as de 100 polegadas que devem ser comercializadas até o ano que vem, possuírem a mesma resolução de uma tela de 32 ou 42. Nesta Samsung QuadHD, pela primeira vez eu vejo uma resolução de 3840×2160. Só para lembrar a Full HD normal é 1920×1080. Para tirar proveito disso só um computador ou futuros consoles de games, já que a TV e o DVD estão recém se adaptando ao HD.

 

Eduardo Pellanda

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized